Visitantes

terça-feira, 24 de março de 2020

127- Resenha do livro A ILHA MISTERIOSA

JULES VERNE, TRADUÇÃO ANDRÉ TELLES, EDITORA ZAHAR, 

EDIÇÃO COMENTADA E ILUSTRADA, 2015, 522 páginas

RECOMENDAÇÃO: PARA TODAS AS IDADES

JULES VERNE é um dos romancistas franceses mais famosos de toda história da literatura. Escreveu muitos livros de grande sucesso e é tido como o criador da ficção científica. Seus livros têm sempre descrições detalhadas tanto do espaço físico como de suas personagens.

Este livro foi publicado pela primeira vez em 1874 e já foi lançado por várias editoras e tem uma versão cinematográfica. Sua história gira em torno de fuga de cinco prisioneiros durante a guerra civil americana. Os prisioneiros são: Cyrus Smith, um engenheiro ferroviário e oficial do exército, Nab (diminutivo de Nabucodonosor), corajoso e fiel servo afro-americano de Smith; o marinheiro Pencroft, seu filho Harbert Brown, o jornalista Gideon Spilett, repórter do New York Herald e Top, o cão de Cyrus.

Na hora da fuga, houve uma tempestade que durou dias e ao, finalmente, terem chão debaixo dos seus pés novamente, perceberam que o lugar era uma ilha desabitada, perdida em algum lugar no Sul do Oceano Pacífico.

Os cinco começaram a fazer o reconhecimento da ilha e, com o passar dos dias, perceberam que sair daí seria uma coisa pouco provável tendo em vista a localização da ilha. Aprenderam, então, a cultivar plantas para se alimentarem, domesticar e criar animais que lhes proveriam de carne, leite, gordura, lã e transporte; aprenderam até mesmo a fazer uso de alguns elementos químicos e a manusear metais para fabricar armas.

Mas o desejo de sair dali sempre os acompanhava e sonhavam com navios chegando para resgatá-los. Depararam-se com outros náufragos, com piratas e com alguém que ditava as ordens na ilha de forma invisível.

A composição inusitada dos cinco ‘colonizadores’ da ilha (como gostavam de dizer que eram) foi determinante para que sobrevivessem, pois o que um sabia, ajudava a todos a superarem os obstáculos impostos pelas condições adversas do lugar.

O livro traz partes que retomam ao livro Vinte mil léguas submarinas, livro famoso do mesmo autor, porém quem ainda não o leu, não sentirá a falta.


DLL  março -5º- Um livro de autor francês


terça-feira, 17 de março de 2020

126-Resenha do livro MEMÓRIAS DA MANTANHA

DENISE EMMER, EDIOURO, 2006, 256 páginas

RECOMENDAÇÃO: LITERATURA PARA TODAS AS IDADES

O livro conta a história de vida de Denise Emmer. Filha de Dias Gomes e de Janete Clair, personalidades do mundo das novelas televisivas brasileiras. Conta como era sua vida com seus pais e irmãos. Eles viviam de forma harmoniosa numa suntuosa mansão no Rio de Janeiro e a apoiavam em ‘quase’ tudo.

Estudou para se tornar bacharela em Física e sua colação de grau foi um momento de muita emoção para os pais. Cursou pós-graduação em Filosofia.

Escreveu vários livros, em sua maioria, de poesias, os quais fizeram bastante sucesso chegando inclusive a ganhar prêmios de literatura como, por exemplo, o Prêmio Olavo Bilac, poesia, da Academia Brasileira de Letras, em 1991 e isso também agradava muito à família que a incentivava fortemente a se dedicar a essa produção com mais afinco. Seu primeiro livro – Geração estrela - foi publicado em 1975. Publicou também romances, contos e essa biografia.

É compositora e musicista. Compôs e gravou várias músicas, algumas das quais foram escolhidas como trilhas sonoras de personagens das novelas escritas pela mãe. Essa é a parte da sua vida de que não gosta. De compor e cantar, sempre gostou, mas estar em um palco e depois, ser assediada por fãs, não lhe dá prazer algum. Essa carreira também teria alegrado aos pais, mas não a ela.

Seu espírito aventureiro procurava por desafios diários, por isso, desde a adolescência, fazia trilhas e com 17 anos teve sua primeira experiência com o alpinismo. Estudou bastante sobre o assunto, preparou-se fisicamente para esse esporte e junto a outros alpinistas mais experientes escalou várias montanhas, inclusive uma com gelo, na Argentina. Teve quedas, machucou-se, mas nada a afastava. Estava no sangue. Isso deixava os pais sempre muito aflitos. Eles tentavam dia após dia fazê-la desistir dessa prática, mas ela se sentia a cada dia mais íntima das montanhas. Era lá que ela se realizava.

A autora escreve em primeira pessoa usando um vocabulário próprio de quem domina a arte de escrever bem. Utiliza figuras de linguagem para retratar seus sentimentos durante o relato de sua vida dividindo os capítulos que contam sobre sua paixão pelo alpinismo com os que contam sobre sua relação com a família e demais pessoas de sua convivência demonstrando um carinho muito grande pela mãe no decorrer de sua enfermidade.

A história é dividida em 18 capítulos trazendo fotos suas principalmente das escaladas feitas nos mais diferentes pontos altos do Brasil e também fora dele. Vale a pena ler o livro.

DLL  março -4º- Uma biografia

segunda-feira, 16 de março de 2020

125- Resenha do livro MINHA PRIMEIRA PAIXÃO

ELENICE MACHADO DE ALMEIDA & PEDRO BANDEIRA, EDITORA 

FTD, 11ª EDIÇÃO, 1994, 81 páginas

RECOMENDAÇÃO: LITERATURA INFANTO-JUVENIL

Este livro tem dupla autoria porque seu texto estava em fase de criação quando Elenice faleceu. Então Pedro Bandeira foi incumbido pelo marido da autora a terminar a história. Embora não a tenha conhecido pessoalmente, Pedro conhecia suas obras. Até mesmo o título ficou a cargo do escritor paulista que tem inúmeras obras publicadas.

O texto é narrado em primeira pessoa com capítulos alternados entre os protagonistas Pimpo e Frida, dois adolescentes. A história acontece em num ambiente escolar.

Frida, uma garota ruiva de cabelos encaracolados, nerd em quase todas as matérias sofre preconceito por essas duas características.

Pimpo usa óculos de aros redondos o que lhe confere uma aparência de coruja, pelo menos para Frida e é um garoto extremamente distraído. A mãe quer que ele seja um violonista famoso e o pai, que ele seja um engenheiro renomado. E ele não quer nada, não se interessa por matéria nenhuma. Orgulha-se de conhecer palavras difíceis e com elas cria pequenos poemas sem muito sentido.

Bem na idade das primeiras paixonites, o livro mostra o despertar dos hormônios do ser humano

A história é dividida em capítulos curtos como convém a um livro para o público infanto-juvenil.

 Vale a pena ler o livro.

DLL março -3º- Um livro do século passado



terça-feira, 10 de março de 2020

124- Resenha do livro DE REPENTE, ANA

MARINA CARVALHO, EDITORA NOVO CONCEITO, 2014, 317 páginas

RECOMENDAÇÃO: LITERATURA ADULTA

A autora mineira nascida em Ponte Nova, gosta muito de rock e filmes com finais felizes e usa essas paixões em algumas cenas da história deste livro. É jornalista formada na PUC de Minas chegando a exercer a profissão por alguns anos. Leciona Língua Portuguesa e Literatura, ama ler livros policiais ou jornais. Teve na mãe uma incentivadora do hábito da leitura, pois ela lhe comprava todo mês, na infância, gibis da Turma da Mônica. Como toda mineira, adora um pão de queijo e café com leite.

O livro é a continuação do livro Simplesmente, Ana que conta o sonho de toda garota de se tornar uma princesa, embora não seja necessário ler aquele livro para entender este. A autora dá uma contextualização bem consistente para que se entenda a história mesmo assim. Ana se tornou uma princesa e este livro vai mostrar que nem tudo na vida de uma princesa são flores.

Neste romance, contado em primeira pessoa com capítulos alternados entre Ana e Alexandre, Ana está vivendo seu sonho de princesa quando sonha com algo grave acontecendo com seu pai Andrej que é o rei de Krósvia, um pequeno país localizado na Europa. E seu sonho mais uma vez se realiza: Andrej sofre um acidente grave e Ana, que está de férias no Brasil com seu namorado Alex, retorna com urgência ao Palácio Perla porque seu pai está em coma. Por causa dessa situação, as autoridades máximas do país, convocam a jovem a assumir o lugar do pai no governo. Ela sabe que Alex lhe dará todo apoio e ajuda que puder, mas ela não se sente preparada. Mesmo assim, aceita o desafio de governar Krósvia. Nos capítulos narrados por Alex, ele deixa transparecer todo amor que ele sente por Ana.

Mas tem alguém que se recusa a aceitá-la como governante e herdeira do trono e a está ameaçando. E, do nada, ela simplesmente desaparece. Todas as lideranças do país iniciam uma busca e Alex, desesperado, pensa em tudo o que já passou com ela e se agarra a uma pista tênue que a própria Ana plantou para tentar descobrir o que aconteceu com ela.

A autora narra a história em 39 capítulos utilizando uma linguagem descontraída e bem-humorada parecendo falar com o leitor o que faz com que pareça que eeste possa interagir com o enredo.

Vale muito a pena ler o livro, apesar de, em alguns momentos, ser bem previsível.

DLL  março -2º- Um livro de um(a) autor(a) brasileiro(a)

terça-feira, 3 de março de 2020

123- Resenha do livro UMA NOIVA DE NATAL- Julie e Simon – livro 1

JULIANA DANTAS, PLATAFORMA AMAZON, 2018, 213 páginas

RECOMENDAÇÃO: LITERATURA ADULTA


                A autora desse romance chick-lit é vidrada por livros, séries e viagens e se envolveu no mundo da escrita em 2006 e já tem vários livros publicados. Sua escrita vai desde livros com dramas surpreendentes a romances leves e divertidos como Uma noiva de Natal. Leitora voraz de romances, trabalhou durante anos como livreira em uma grande rede de livrarias, onde teve a oportunidade de se dedicar integralmente à sua grande paixão: os livros.

A escritora gaúcha de Porto Alegre é formada em jornalismo, estudou crítica de arte na Argentina e escrita criativa na PUC-RS. Seu romance de estreia, Ruína y Leveza, foi finalista do Prêmio Açorianos de Criação Literária para livros inéditos, em 2014, e do Prêmio São Paulo de Literatura na categoria autor estreante com menos de 40 anos, em 2016.

Este livro traz o romance de Julie e Simon que vivem uma história muito diferente.Simon é o CEO de uma grande empresa e tem uma família que não lhe deixa sossego; intrometendo-se em sua vida amorosa.

Julie é recém-contratada da empresa de Simon e sua chefe imediata- Erin- não simpatizou nem um pouco com ela e faz de tudo para transformar sua vida profissional em um inferno. Ela fica na sua fazendo o melhor que pode até mesmo como uma forma de afrontá-la. O que ela quer mesmo é conhecer Simon e se aproximar dele. E isso acontece de forma bastante inusitada e ela acaba se tornado sua noiva de mentirinha. E os dois vão se envolvendo cada vez mais até chegarem num ponto em que precisam renunciar às mentiras ou...

Um romance que vai crescendo aos poucos. Não sem ter uma pitada de erotismo, humor e cumplicidade. O livro tem continuação.

Vale a pena.

DLL- março- 1º- um livro de capa rosa