Visitantes

terça-feira, 10 de março de 2020

124- Resenha do livro DE REPENTE, ANA

MARINA CARVALHO, EDITORA NOVO CONCEITO, 2014, 317 páginas

RECOMENDAÇÃO: LITERATURA ADULTA

A autora mineira nascida em Ponte Nova, gosta muito de rock e filmes com finais felizes e usa essas paixões em algumas cenas da história deste livro. É jornalista formada na PUC de Minas chegando a exercer a profissão por alguns anos. Leciona Língua Portuguesa e Literatura, ama ler livros policiais ou jornais. Teve na mãe uma incentivadora do hábito da leitura, pois ela lhe comprava todo mês, na infância, gibis da Turma da Mônica. Como toda mineira, adora um pão de queijo e café com leite.

O livro é a continuação do livro Simplesmente, Ana que conta o sonho de toda garota de se tornar uma princesa, embora não seja necessário ler aquele livro para entender este. A autora dá uma contextualização bem consistente para que se entenda a história mesmo assim. Ana se tornou uma princesa e este livro vai mostrar que nem tudo na vida de uma princesa são flores.

Neste romance, contado em primeira pessoa com capítulos alternados entre Ana e Alexandre, Ana está vivendo seu sonho de princesa quando sonha com algo grave acontecendo com seu pai Andrej que é o rei de Krósvia, um pequeno país localizado na Europa. E seu sonho mais uma vez se realiza: Andrej sofre um acidente grave e Ana, que está de férias no Brasil com seu namorado Alex, retorna com urgência ao Palácio Perla porque seu pai está em coma. Por causa dessa situação, as autoridades máximas do país, convocam a jovem a assumir o lugar do pai no governo. Ela sabe que Alex lhe dará todo apoio e ajuda que puder, mas ela não se sente preparada. Mesmo assim, aceita o desafio de governar Krósvia. Nos capítulos narrados por Alex, ele deixa transparecer todo amor que ele sente por Ana.

Mas tem alguém que se recusa a aceitá-la como governante e herdeira do trono e a está ameaçando. E, do nada, ela simplesmente desaparece. Todas as lideranças do país iniciam uma busca e Alex, desesperado, pensa em tudo o que já passou com ela e se agarra a uma pista tênue que a própria Ana plantou para tentar descobrir o que aconteceu com ela.

A autora narra a história em 39 capítulos utilizando uma linguagem descontraída e bem-humorada parecendo falar com o leitor o que faz com que pareça que eeste possa interagir com o enredo.

Vale muito a pena ler o livro, apesar de, em alguns momentos, ser bem previsível.

DLL  março -2º- Um livro de um(a) autor(a) brasileiro(a)

Um comentário: