Visitantes

terça-feira, 17 de março de 2020

126-Resenha do livro MEMÓRIAS DA MANTANHA

DENISE EMMER, EDIOURO, 2006, 256 páginas

RECOMENDAÇÃO: LITERATURA PARA TODAS AS IDADES

O livro conta a história de vida de Denise Emmer. Filha de Dias Gomes e de Janete Clair, personalidades do mundo das novelas televisivas brasileiras. Conta como era sua vida com seus pais e irmãos. Eles viviam de forma harmoniosa numa suntuosa mansão no Rio de Janeiro e a apoiavam em ‘quase’ tudo.

Estudou para se tornar bacharela em Física e sua colação de grau foi um momento de muita emoção para os pais. Cursou pós-graduação em Filosofia.

Escreveu vários livros, em sua maioria, de poesias, os quais fizeram bastante sucesso chegando inclusive a ganhar prêmios de literatura como, por exemplo, o Prêmio Olavo Bilac, poesia, da Academia Brasileira de Letras, em 1991 e isso também agradava muito à família que a incentivava fortemente a se dedicar a essa produção com mais afinco. Seu primeiro livro – Geração estrela - foi publicado em 1975. Publicou também romances, contos e essa biografia.

É compositora e musicista. Compôs e gravou várias músicas, algumas das quais foram escolhidas como trilhas sonoras de personagens das novelas escritas pela mãe. Essa é a parte da sua vida de que não gosta. De compor e cantar, sempre gostou, mas estar em um palco e depois, ser assediada por fãs, não lhe dá prazer algum. Essa carreira também teria alegrado aos pais, mas não a ela.

Seu espírito aventureiro procurava por desafios diários, por isso, desde a adolescência, fazia trilhas e com 17 anos teve sua primeira experiência com o alpinismo. Estudou bastante sobre o assunto, preparou-se fisicamente para esse esporte e junto a outros alpinistas mais experientes escalou várias montanhas, inclusive uma com gelo, na Argentina. Teve quedas, machucou-se, mas nada a afastava. Estava no sangue. Isso deixava os pais sempre muito aflitos. Eles tentavam dia após dia fazê-la desistir dessa prática, mas ela se sentia a cada dia mais íntima das montanhas. Era lá que ela se realizava.

A autora escreve em primeira pessoa usando um vocabulário próprio de quem domina a arte de escrever bem. Utiliza figuras de linguagem para retratar seus sentimentos durante o relato de sua vida dividindo os capítulos que contam sobre sua paixão pelo alpinismo com os que contam sobre sua relação com a família e demais pessoas de sua convivência demonstrando um carinho muito grande pela mãe no decorrer de sua enfermidade.

A história é dividida em 18 capítulos trazendo fotos suas principalmente das escaladas feitas nos mais diferentes pontos altos do Brasil e também fora dele. Vale a pena ler o livro.

DLL  março -4º- Uma biografia

Nenhum comentário:

Postar um comentário